NR35 e linha de vida: o que você precisa saber

NR35 e linha de vida: o que você precisa saber?


?A segurança do trabalho é essencial para o sucesso de uma empresa, afinal, ela não envolve apenas situações de risco, mas também auxilia na melhora da qualidade de vida dos funcionários, saúde e conforto ao longo da jornada. Trabalhos que são comuns e exigem muita segurança são os trabalhos em altura e inclusive, existe uma norma específica para esse tipo de atividade, a NR35. Ela abrange todos os equipamentos necessários e um exemplo que é muito utilizado é a linha de vida. Entenda tudo sobre a relação entre elas no artigo de hoje.

O que é a NR35 e para que serve?

Sabemos que nenhum trabalho deve prejudicar a saúde, integridade e colocar a vida do colaborador em risco. No entanto, antigamente as coisas não eram claras como hoje, e então as normas regulamentadoras foram criadas para garantir todos esses fatores. Com isso, toda e qualquer atividade que promova algum tipo de risco para o trabalhador tem uma norma regulamentadora específica que possui orientações para amenizá-lo.

A NR35, como falamos, abrange os trabalhos em altura, oferecendo todas as orientações, observações, procedimentos, treinamentos e equipamentos necessários. Trabalhar sem equipamentos que mantenham o trabalhador preso em caso de quedas ou escorregões, ou sem qualquer treinamento para orientar sobre o uso adequado, viola todos os princípios da segurança do trabalho.

As obrigações de cada parte

A NR35 estabelece diversas obrigações ao empregador, como:

Implementação das medidas de proteção;

Estabelecer o procedimento adequado;

Realizar a Análise de Risco e quando for o caso emitir a Permissão de Trabalho;

Avaliar previamente as condições do ambiente de trabalho;

Exigir o cumprimento das medidas por empresas terceirizadas;

Realizar treinamentos para os colaboradores;

Suspender atividades em altura, quando houver risco não previsto e que não possa ser eliminado de imediato;

Entre outros.

No entanto, existem responsabilidades que devem ser do colaborador também, como:

Preocupar-se com sua segurança e a segurança de terceiros;

Cumprir as exigências da norma em relação aos procedimentos adequados;

Auxiliar na implementação da norma;

Suspender sua atividade, caso identifique graves riscos à segurança e comunicar ao supervisor.

O que é linha de vida?

Sempre que atividades em altura não puderem ser evitadas, é obrigatória a utilização de sistemas contra quedas adequados para a atividade específica. Um desses sistemas é a linha de vida, que é usada quando não é possível realizar a instalação de uma barreira física para impedir a queda. Ela é obrigatória para trabalhos em altura maior ou igual a dois metros, sendo essencial que o empregador forneça o cinto de segurança e pontos de ancoragem no local.

Por poder sustentar mais de um colaborador ao mesmo tempo, a linha de vida é considerada um EPC (Equipamento de Proteção Coletiva), sendo muito utilizada na construção civil, como trabalhos em telhados, concretagem, manutenção de fachadas, entre outros.

Existem diversos tipos de linha de vida, e sua utilização será definida de acordo com o tempo, carga a ser suportada, tipo de serviço e conforto do trabalhador. O responsável por analisar essas questões é um profissional habilitado legalmente em dimensionamento de cargas, como um engenheiro civil ou mecânico, além de ter conhecimento em segurança do trabalho.

As linhas de vida podem ser fixas ou móveis, horizontais ou verticais; locais nos quais considera-se fundamental a instalação desses sistemas são: telhados, silos, escadas, plataformas, locais de cargas e descargas.

NR35 e linha de vida

Segundo a NR35, a linha de vida deve ser instalada somente em locais que foram previamente analisados por um engenheiro civil ou mecânico. Após esta análise deve-se contratar um profissional qualificado para fazer a instalação de acordo com as orientações recebidas.  Resultado disso é a segurança do trabalhador nas atividades em altura.

O treinamento periódico em trabalho em altura para capacitar o funcionário é obrigatório a cada 2 anos, porém, é importante que o funcionário jamais realize uma tarefa sem ter um bom conhecimento das atividades em altura que são de alto risco; infelizmente os acidentes em altura normalmente são muito graves ou levam à morte.

Os treinamentos de altura da NR 35 possuem carga horária mínima de 8 horas e neste treinamento os funcionários  recebem informações sobre os riscos dos trabalhos em altura, formas de se proteger e sobre o uso correto dos equipamentos de proteção individual e das linhas de vida. Isto é importante para que os funcionários percebam a importância das linhas de vida e não a subestimem.

Para se trabalhar com segurança em atividades em altura, é importante, além de ter uma boa linha e treinamento, utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, tais como: capacete, óculos de segurança, luvas de proteção, cinto de segurança tipo paraquedista, talabarte ou trava-quedas, dependendo da situação.

Com treinamentos e orientações adequadas será possível criar um ambiente seguro e colaboradores conscientes. Resultado disso será a diminuição dos acidentes de trabalho, uma cultura organizacional mais forte e maior produtividade, devido ao conforto e qualidade de vida promovidos aos trabalhadores. Como falamos, o sucesso de uma empresa está diretamente ligado à segurança do trabalho. Não se esqueça disso.