O uso da máscara de proteção contra o coronavírus

O uso da máscara de proteção contra o coronavírus


Toda vez que surgem novas epidemias, a necessidade de buscarmos informações corretas e as melhores formas de se proteger passam a ser fundamentais, pois o CORONAVÍRUS está saindo do controle das autoridades mundiais e tende a se espalhar, chegando inclusive no Brasil.

Um dos principais itens de proteção sem dúvidas são as máscaras respiratórias. Basta verificarmos que na China, onde surgiu essa doença, toda população, infectada ou não, está utilizando esses equipamentos, e é importante entendermos qual seria o modelo correto para nos proteger, vejamos abaixo:

Orientação para de máscaras sem manutenção - descartáveis:

PFF2 Sem válvula - filtra 95% - equivale a denominação N95 – esse produto filtra agentes biológicos potencialmente patogênicos, porém como toda máscara tipo descartável, elas precisam ser trocadas mais vezes e principalmente ser acomodadas corretamente ao rosto, pois tem facilidade de perder vedação nas laterais do rosto.

PFF3 sem válvula - filtra 99% - equivale a denominação N99- esse produto filtra agentes biológicos potencialmente patogênicos e radionuclídeos tais como: urânio e plutônio, que emitem radiação alfa, beta e gama.

Do ponto de vista da gripe ou do Coronavírus, o uso de máscara é fundamental para que as pessoas que tiverem contato com pessoas infectadas não respirem próximas sem a devida proteção, principalmente quando essas pessoas tossem ou espiram, temos que entender que somente o uso de máscaras não irá oferecer completa proteção, haja vista que o contato das mãos e corporal também expõe as pessoas aos vírus.

Uso de álcool gel, evitar aglomerações públicas e qualquer contato com pessoas infectadas ou mesmo que estiveram nas regiões afetadas, é fundamental para a saúde.

O manual de isolamento padrão da ANVISA cita em sua página 14 essa doença e recomenda o uso da N95 ou PFF2 sem válvula.

CARLOS ALBERTO G. DIAS - TST